‚ÄúA PHENIX J√Ā INVESTIU MAIS DE UM MILH√ÉO DE EUROS NO MERCADO PORTUGU√äS‚ÄĚ

21-Set-2021

A app Phenix tem origem francesa e foi desenvolvida para ajudar pequenos neg√≥cios a combaterem o desperd√≠cio alimentar, atrav√©s da venda dos seus excedentes a um pre√ßo mais baixo. Lan√ßada em Portugal em 2019, o pa√≠s escolhido para dar in√≠cio √† expans√£o internacional, a app conta atualmente com 180 mil utilizadores ativos e 900 parceiros. Juntos, evitaram o desperd√≠cio de 220 mil refei√ß√Ķes, anuncia Frederico Ven√Ęncio, diretor-geral da Phenix Portugal, em entrevista ao Hipersuper.

 

 

Lançaram a aplicação Phenix em outubro de 2019, uma app que permite aos pequenos negócios combater o desperdício alimentar, permitindo a venda dos seus excedentes através da aplicação, a um preço mais baixo. No entanto, a constituição da empresa em Portugal data de 2016. Estiveram neste período a desenvolver a app?

A app da Phenix come√ßou a ser desenvolvida no in√≠cio de 2019, tendo sido lan√ßada em modo ‚Äúsoft launch‚ÄĚ no mercado portugu√™s em outubro desse ano. At√© ent√£o, e desde 2016, combatemos o desperd√≠cio alimentar atrav√©s de um servi√ßo que ainda hoje mantemos e que √© um dos grandes pilares da nossa atividade: um programa de convers√£o de excedentes de supermercados, armaz√©ns grossistas, entre outros, em doa√ß√Ķes a institui√ß√Ķes particulares de solidariedade social. Foi com esta vertente que arranc√°mos as nossas opera√ß√Ķes em Portugal, num trabalho que nos permite combater o desperd√≠cio, ao mesmo tempo que ajudamos quem mais precisa. Atualmente, estamos presentes em todo o Pa√≠s com este servi√ßo, continuando simultaneamente a expandir a presen√ßa da aplica√ß√£o. De real√ßar que Portugal foi o primeiro pa√≠s escolhido pela Phenix para iniciar a sua expans√£o internacional.

Quais as principais funcionalidades da app?

A principal funcionalidade da aplica√ß√£o √©, sem d√ļvida, a venda de excedentes di√°rios de diversos comerciantes, sob a forma de cabazes que os utilizadores podem adquirir com descontos que come√ßam nos 50% e podem chegar aos 70%, evitando assim o desperd√≠cio desses produtos. Outra grande caracter√≠stica da nossa aplica√ß√£o reside no seu sistema de filtros, com o qual √© poss√≠vel ter visibilidade apenas sobre as lojas com cabazes dispon√≠veis para compra, filtrar as ofertas por regime de alimenta√ß√£o (vegetariano, vegan, entre outros) ou por tipo de alimentos (frutas e legumes, padaria, pastelaria, pronto a comer, entre outros), facilitando a escolha.

Temos tamb√©m um sistema de alertas personalizados para as lojas favoritas dos nossos utilizadores (sempre que uma dessas lojas disponibiliza um cabaz, o utilizador recebe uma notifica√ß√£o no seu telefone) e real√ßamos tamb√©m a √°rea pessoal da aplica√ß√£o, onde √© poss√≠vel verificar e partilhar o nosso impacto no meio ambiente ‚Äď quantos quilogramas de CO2 j√° evit√°mos serem emitidos para a atmosfera atrav√©s dos cabazes salvos do desperd√≠cio, bem como quanto dinheiro j√° conseguimos poupar com as nossas compras na app.

Qual o investimento feito em Portugal até à data?

Portugal √© um mercado bastante representativo para a Phenix, n√£o s√≥ pelos resultados atingidos com aplica√ß√£o, mas tamb√©m por termos uma forte din√Ęmica na nossa vertente de neg√≥cio B2B [Business to Business], no segmento das doa√ß√Ķes. Acreditamos que estamos definitivamente a mudar mentalidades e a contribuir para acabar com o flagelo que √© o desperd√≠cio alimentar e, por isso mesmo, estamos empenhados em fazer todos os poss√≠veis para colocarmos Portugal na linha da frente contra essa luta. Desde que inici√°mos opera√ß√Ķes no mercado portugu√™s, j√° investimos mais de um milh√£o de euros e, para 2021, temos objetivos bastante ambiciosos, pelo que contamos ver esse investimento refor√ßado.

Quais os n√ļmeros e indicadores da aplica√ß√£o?

√Ä data, possu√≠mos mais de 180.000 utilizadores ativos e envolvidos no combate ao desperd√≠cio, 900 parceiros espalhados pelos locais onde estamos presentes (Grande Porto, Grande Lisboa, Braga), tendo j√° conseguido evitar, apenas com a aplica√ß√£o, o desperd√≠cio de mais de 220. 000 refei√ß√Ķes.

Como espera que evoluam os n√ļmeros at√© ao final do ano?

Com a expans√£o para novas cidades, como √© o caso de Braga, onde entr√°mos recentemente, e outras localiza√ß√Ķes onde planeamos chegar a muito curto prazo, assim como com o refor√ßo nos locais onde j√° estamos presentes, esperamos, at√© ao final de 2021, vir a ter cerca de 400.000 utilizadores ativos, ou seja, utilizadores que efetivamente est√£o preocupados com o desperd√≠cio alimentar e lutam ativamente contra o mesmo. Se conseguirmos chegar a toda esta popula√ß√£o at√© a final do ano, vamos ficar muito satisfeitos, mas, mais do que isso, motivados para fazer ainda mais, pois acreditamos que a luta contra o desperd√≠cio √©, efetivamente, uma miss√£o de todos.

As empresas parceiras s√£o maioritariamente de que setores de atividade?

Neste momento, trabalhamos maioritariamente com parceiros do canal Horeca, nomeadamente caf√©s, restaurantes, padarias e pastelarias, mas temos tamb√©m uma grande percentagem de mercearias, frutarias, talhos, peixarias e minimercados. De um modo geral, o principal setor de atividade dos nossos parceiros est√° relacionado com a venda de produtos alimentares ao consumidor final, mas n√£o descartamos a possibilidade de trabalhar com todos, retalhistas, grossistas e produtores, entre outros. As solu√ß√Ķes que apresentamos s√£o perfeitamente adapt√°veis a qualquer tipo de neg√≥cio, sendo poss√≠vel personaliz√°-las para cada cliente.

J√° trabalham com alguma grande cadeia de retalho alimentar?

No servi√ßo de doa√ß√Ķes, trabalhamos com a totalidade das lojas Continente, Continente Modelo e Continente Bom Dia, e com a Ludite. Estamos tamb√©m, neste momento, em fase de arranque com as  lojas Colibri, da Brisa √Āreas de Servi√ßo. Em todos estes clientes fazemos a convers√£o dos seus excedentes (quebras de stock, produtos retirados da prateleira por diversos fatores, entre outros) em doa√ß√Ķes a IPSS [Institui√ß√Ķes Particulares de Solidariedade Social], espalhadas por Portugal. Trabalhamos com uma rede de cerca de 1.200 institui√ß√Ķes e gerimos os excedentes de mais de 300 lojas em territ√≥rio nacional. Com a aplica√ß√£o, estamos agora a iniciar a colabora√ß√£o com algumas lojas Minipre√ßo, especialmente na zona norte, e temos, claro, planos de expans√£o.

A quem pertence a Phenix?

A Phenix é uma startup internacional, de origem francesa, e surge de uma ideia pioneira de Jean Moreau e Baptiste Corval, dois jovens empreendedores que tinham como background a área financeira, trabalhando no setor da banca. Tomando consciência de todo o desperdício que existia, não só em França como no mundo, decidiram iniciar o projeto Phenix para lidar com os excedentes, dando-lhes uma segunda vida. Além de identificarem um problema que precisava urgentemente de ser endereçado, os fundadores perceberam também que combatê-lo se poderia traduzir na oportunidade de maximizar a eficiência das empresas e dos negócios, combinando o respeito pelo meio ambiente com o crescimento económico, através de uma abordagem inovadora.

Qual o modelo de negócio da empresa?

Temos dois modelos de neg√≥cios distintos: B2B, com a nossa √°rea de doa√ß√Ķes, onde conectamos empresas a IPSS e agilizamos todo o processo operacional, legal e fiscal da doa√ß√£o, para que essas empresas consigam ter acesso aos benef√≠cios fiscais existentes em Portugal; e uma vertente muito mais alargada que √© a nossa aplica√ß√£o, com a qual queremos alcan√ßar toda a popula√ß√£o, de uma forma mais generalizada. Atrav√©s da app conectamos todo o tipo de com√©rcio local que possa ter algum tipo de desperd√≠cio, com os nossos utilizadores. Todos estes parceiros colocam dispon√≠veis na nossa aplica√ß√£o os produtos em fim de vida, em formato de cabaz, sempre com descontos associados, pois estamos a falar de excedentes. O cliente compra atrav√©s da app e levanta nos parceiros, promovendo a visita aos seus espa√ßos. A Phenix cobra uma pequena comiss√£o por cabaz vendido.

A empresa tem concorrência em Portugal?

No que se refere √† aplica√ß√£o, existem outros projetos que desenvolvem um trabalho semelhante. No entanto, ao n√≠vel do servi√ßo de doa√ß√Ķes, n√£o temos concorr√™ncia em Portugal. No nosso Pa√≠s, somos a √ļnica empresa que oferece solu√ß√Ķes integradas para o combate ao desperd√≠cio, quer alimentar quer de outras categorias de produtos.

Qual o perfil do comprador da Phenix?

O perfil de comprador √© misto, mas podemos destacar a preval√™ncia de mulheres, entre os 35 e os 44 anos, com um n√≠vel de educa√ß√£o superior (pelo menos licenciatura), rendimento na m√©dia nacional, geralmente trabalhadoras por conta de outrem no setor dos servi√ßos, que moram com a sua fam√≠lia e pretendem poupar nas compras de alimenta√ß√£o. Temos um grande foco nos cabazes de frutas e legumes, refei√ß√Ķes prontas, supermercado, talho, peixaria, padaria e pastelaria.

Quais os principais desafios que a empresa enfrenta para crescer em Portugal?

Portugal √© claramente um pa√≠s em mudan√ßa no que toca a boas pr√°ticas ambientais e alimentares e acredito que estamos no bom caminho nesta altera√ß√£o de mentalidades. Percebemos claramente que as gera√ß√Ķes mais jovens t√™m uma real preocupa√ß√£o com estes temas, mas √© preciso mais, nomeadamente, um maior envolvimento por parte das empresas e produtores neste combate. Acreditamos que a forma mais eficiente de conseguirmos estar todos alinhados e 100% comprometidos nesta luta √© com regulamenta√ß√Ķes mais atrativas para aqueles que efetivamente adotam boas pr√°ticas e, claro, um maior esfor√ßo de sensibiliza√ß√£o para aqueles que ainda n√£o aplicam os melhores princ√≠pios para evitar o desperd√≠cio alimentar. Mas a regulamenta√ß√£o √© e ser√°, sem d√ļvida, um fator crucial para incentivar e explorar ainda mais o tema do combate ao desperd√≠cio no nosso Pa√≠s.

Qual o desperd√≠cio anual de alimentos em Portugal. Qual tem sido a evolu√ß√£o nos √ļltimos anos?

Os dados mais concretos que existem apontam para um milh√£o de toneladas de alimentos desperdi√ßados todos os anos ‚Äď algo bastante chocante, se analisarmos a dimens√£o do nosso territ√≥rio. Contudo, n√£o existe nenhum estudo recente que indique um n√ļmero com precis√£o. Do lado da Phenix, estamos a trabalhar os dados que temos ao nosso dispor, relativamente ao desperd√≠cio evitado sobre o existente, de modo a apurar n√ļmeros mais concretos. Sabemos tamb√©m que, resultado do nosso trabalho e do dos nossos parceiros, englobando todos os servi√ßos da opera√ß√£o Phenix em Portugal, j√° conseguimos evitar que mais de 11,5 milh√Ķes de refei√ß√Ķes fossem desperdi√ßadas, desde o final de 2016 at√© ao presente.

Como espera que evolua o n√ļmero de refei√ß√Ķes salvas do desperd√≠cio at√© ao final do ano?

Este √© um n√ļmero recorde que esperamos duplicar at√© ao final deste ano. Mas, al√©m do impacto social que o desperd√≠cio alimentar tem, temos de considerar tamb√©m o impacto ambiental, pois de cada vez que desperdi√ßamos um alimento, estamos a desperdi√ßar os recursos que foram utilizados na sua produ√ß√£o e distribui√ß√£o, assim como a acrescentar mais um impacto negativo nas emiss√Ķes de CO2 para a atmosfera. Dessa forma, mantemos tamb√©m um registo das emiss√Ķes que s√£o evitadas atrav√©s do combate ao desperd√≠cio. Estes mais de 11 milh√Ķes de refei√ß√Ķes salvas equivalem a 15.000 toneladas de CO2 a menos emitidas para a atmosfera. O impacto do desperd√≠cio √© enorme e estes dados comprovam isso mesmo.

*Entrevista originalmente publicada na edi√ß√£o 393 do  Jornal Hipersuper